sexta-feira, 30 de outubro de 2009

O Consolador prometido


“Se me amais, guardai os meus mandamentos; e eu rogarei a meu Pai e ele vos enviará outro Consolador a fim de que fique eternamente convosco: - O Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque o não vê e absolutamente o não conhece. Mas quanto a vós, conhecê-lo-eis, porque ficará convosco e estará em vós. – Porém, o Consolador, que é o Santo Espírito, que meu pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará recordar tudo o que vos tenha dito.” (São João, 14:15 a 17:26.)

Jesus marcou fortemente a sua presença junto aos homens. Trouxe-nos as noções básicas da Lei de Amor que rege toda a obra da Criação Divina, mostrando que Deus, nosso Pai, é justo e bom, e que tudo criou para o bem e para a dinâmica do aprimoramento que a todos felicita. Ensinou-nos a amar a Deus, amar ao próximo e a nós mesmos. Deixou-nos um exemplo vivo da prática da caridade no seu sentido mais amplo e profundo, cultivando a benevolência para com todos, a indulgência para com as imperfeições humanas e dando um marcante testemunho de perdão, quando já crucificado, pediu a Deus que perdoasse os homens.

Sabia contudo, que seus exemplos e lições não seriam colocados em prática, de imediato, pelos seres humanos, os quais iriam deturpa-los e distorce-los, adaptando-os as suas limitações. Jesus também reconhecia não haver, na época, condições de passar aos homens todos os ensinos. Era preciso aguardar o trabalho da evolução, preparando a Humanidade com dolorosas experiências, para a conquista de novos conhecimentos.

No período que se seguiu a sua presença na Terra, a Humanidade aprimorou-se : a Ciência rompeu barreiras e ampliou conhecimentos; a Filosofia aprofundou o raciocínio em busca da verdade; a Religião revisou seus conceitos com relação ao Criador e a Criação, e as artes desenvolveram o sentimento no cultivo do belo e da harmonia universal.

A medida que avançava em novas conquistas, aumentavam as duvidas do homem: o que sou, de onde vim, para onde vou, qual a razão da dor e do sofrimento, qual o sentido da existência humana. Surgem condições para novos esclarecimentos: mostra-se oportuna a chegada do Consolador Prometido. No dia 17 de Abril de 1857, em Paris, França, esse consolador vem efetivamente ao mundo na forma de um singelo livro – O Livro dos Espíritos -, de autoria de um educador, Allan Kardec, e com a mesma simplicidade da manjedoura, que marcou a vinda do Messias Nazareno.

Chega para ficar eternamente conosco, abrindo uma nova era para a regeneração da Humanidade. Espiritismo - Uma nova era para a Regeneração da Humanidade Desde épocas remotas o homem tem noção da existência de Deus e vem conceituando-o das mais variadas formas, de conformidade com o grau de evolução em que se encontra.

Com a Doutrina Espírita, aprendemos que Deus é a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas. É eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom. Analisando a si mesmo, o homem tem acreditado que possui uma única existência, que começa no berço e termina no tumulo.

Com a Doutrina Espírita, aprendemos que o homem é um espírito imortal encarnado em um corpo material; que já existia antes de nascer e que continua existindo depois da morte do corpo físico; que reencarna inúmeras vezes e preserva toda a experiência de suas existências, indispensável ao progresso espiritual a que está destinado por força da lei Divina. A mediunidade, que possibilita a comunicação dos espíritos com os homens, embora não compreendida, sempre esteve presente na história do mundo, participando, diretamente ou indiretamente, de todos os avanços da Humanidade.

Com a Doutrina Espírita, passamos a conhecer melhor as leis que regem o intercambio mediúnico, assim como a adequada maneira de sua utilização. Desde o totemismo o homem vem procurando uma diretriz de comportamento moral que atenda as suas reais necessidades de aperfeiçoamento.

Com a Doutrina Espírita, aprendemos que Jesus é o Guia Modelo para toda a humanidade, e que a Doutrina que nos ensinou e exemplificou é a expressão mais pura da Lei de Deus. Estes e outros novos conceitos representam as revelações que os espíritos superiores trouxeram a Humanidade através da Doutrina Espírita e que vêm sendo confirmadas pelas pesquisas e conquistas da ciência humana.

Revelando-nos as Leis Divinas e ampliando a nossa compreensão em torno de tudo o que nos cerca, o Espiritismo nos mostra a bondade de Deus e a grandiosidade de sua obra, e abre uma Nova Era para a Humanidade, descortinando-nos o caminho do progresso espiritual que cabe ao homem trilhar.

150 Anos de Espiritismo – Luz e Paz, Esclarecendo e Consolando

Fonte: http://www.institutoespiritaluzia.org.

Um comentário:

  1. Estou contente com a possibilidade de poder estudar nesta Universidade Bilenar, quando luzes abrem os meus olhos e me fazem ver o muito desconhecido. Quanto mais cerro meus olhos, mais visualizo as coisas de Deus! Vejo com os Olhos do Coração... Divino Severaino

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...